Pais serão notificados sobre vacinação de filhos contra sarampo em escola de Manaus

Pais e responsáveis serão notificados para que autorizem a aplicação de vacinação contra sarampo nas crianças nas escolas da rede municipal de ensino. A medida ocorre após recomendação dos Ministério Público Federal (MPF) e Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE), que Ministérios constataram que a vacinação nas escolas não atingiu a meta esperada.

Mais 121 casos de sarampo foram confirmados em Manaus em uma semana, segundo o 23º Boletim Epidemiológico de Monitoramento da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), divulgado nesta segunda-feira (13). Com isso, a capital já tem 723 pacientes com confirmação da doença.

Manaus está em situação de emergência por conta das ocorrências de sarampo e já registrou a morte de um bebê de sete meses pela doença. A morte de um menino de sete meses em decorrência da doença foi confirmada.

Na sexta-feira (10), o MP-AM e o MPF emitiram recomendação ao Estado do Amazonas e ao Município de Manaus que, por meio das suas secretarias de Saúde e Educação, promovam ampla campanha de divulgação do surto de sarampo que atinge a capital, alertando a população e líderes comunitários para os riscos da doença, a importância da vacina, a obrigação que os responsáveis têm de vacinar e para as penalidades que pode sofrer quem não vacinar suas crianças e adolescentes. Os MPs também recomendaram que os casos de omissão de pais e responsáveis quanto ao dever de imunizar os jovens sejam encaminhados ao Conselho Tutelar.

A Prefeitura de Manaus disse que vai intensificar as ações de vacinação contra o sarampo nas escolas da rede municipal de ensino.

“O plano a ser seguido consistirá em notificar esses pais ou responsáveis que a vacinação será realizada na escola da criança e, em caso de falta de justificativa relevante para a não aplicação do imunobiológico, a escola acionará o Conselho Tutelar para verificar o caso. Havendo resistência, o Ministério Público será notificado, estando o pai ou responsável sujeito ao pagamento de multa que pode chegar até 20 salários mínimos”, explicou secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi, por meio da assessoria.

A fiscalização dos casos de crianças não vacinadas por falta de autorização é necessária, pois a imunização contra doenças contagiosas como o sarampo é direito da criança e obrigação dos pais ou responsáveis.

Novo Informativo Epidemiológico

A Semsa divulgou nesta segunda-feira, o 23º Informativo Epidemiológico de Monitoramento dos Casos de Sarampo, mostrando que Manaus registra 723 casos confirmados da doença. São 121 casos a mais do que o registrado há uma semana. Os casos suspeitos e que ainda estão em investigação passaram de 4.167 para 4.694.

Ao todo, desde o início do surto da doença no mês de fevereiro, Manaus registrou 5.693 notificações de sarampo, o que engloba os 723 casos confirmados, os 4.694 casos suspeitos (aguardando resultado laboratorial) e 276 casos descartados após investigação.

Segunda a Semsa continua com a intensificação do combate à doença com a oferta da vacina tríplice viral, que imuniza contra o sarampo, a rubéola e a caxumba.

A Secretaria afirma que conseguiu superar a meta da Campanha Municipal contra o Sarampo, direcionada para crianças de seis meses até 5 anos, 11 meses e 29 dias, com a aplicação de 204.897 doses de vacina.

No entanto, é preciso aumentar a cobertura vacinal entre adolescentes, jovens e adultos até 49 anos, que devem procurar uma Unidade de Saúde para se imunizar.

Faixa etária

O novo informativo aponta também que 44,6% dos casos confirmados estão na faixa etária de até cinco anos, seguido da faixa etária de 15 a 29 anos (32,6%). Entre todas as notificações, que incluem os novos casos suspeitos e ainda em investigação, a faixa etária de 15 a 29 anos é a mais atingida, representando 50%, seguida da faixa etária de 30 a 49 anos (14,8%) e menores de um ano (14,5%).

Distritos

O 23º Informativo Epidemiológico de Monitoramento dos Casos de Sarampo mostra que o Distrito de Saúde (Disa) Norte ainda registra o maior número de notificações, com um total de 2.127 casos notificados (37,4%). Em seguida há o Disa Leste com 1.982 notificações (34,8%), Disa Sul com 772 (13,6%), Disa Oeste com 735 (12,9%) e Disa Rural com 77 (1,4%).

Vacinas

Segundo a secretaria, a vacina de rotina é aplicada em pessoas de 1 até 49 anos. Mediante o avanço da doença em Manaus, a faixa etária foi alterada para crianças a partir de 6 meses.

A população pode se dirigir às unidades básicas de saúde para imunização.

O Cartão de Vacinação deve ser levado no dia da vacina, principalmente no caso de crianças. Quem não possuir o documento poderá ganhar um novo cartão, com registro da dose aplicada.

As doses que são aplicadas já estavam na capital. Mais vacinas foram solicitadas ao Ministério da Saúde na semana anterior, segundo a Prefeitura.

Fonte: G1 AM

Leave a Comment