Amazonense nocauteia paraense no 2º round pela luta principal do Rei da Selva 12

Com a casa cheia, o Rei da Selva fez jus à sua história no cenário do MMA nacional e entregou aos fãs uma noite de excelência. Os GP’s, que abriram a noite, levaram a torcida à loucura, e o main event, que colocava Amazonas e Pará dentro do mesmo octógono, terminou para agradar quem é da terra: vitória do amazonense Helithon por nocaute.

É impossível falar da 12ª edição sem destacar o lutaço entre Augusto César e Maurício Almeida. Os dois avançaram no GP dos moscas com muita facilidade e conquistaram o título de melhor espetáculo da noite com a exibição da decisão do grand prix. No fim, Maurício levou a melhor por decisão unânime dos juízes e foi às lágrimas ao receber o cinturão do Rei da Selva.

Amazonense venceu desafio contra adversário do Pará (Foto: Winnetou Almeirda/Rei da Selva)

Já np GP dos leves, Diego passou pela primeira luta fácil e finalizou César. No outro confronto, quem avançou foi João Batista, que atropelou Oberlan. Tudo acontecia dentro dos conformes, até João Batista ser desclassificado por enfiar o dedo no olho do oponente. Sendo assim, Diego foi o grande campeão da categoria.

A luta feminina, entre Dayane Monster e Larissa Rawry, gerou grande expectativa no público. No dia anterior, na pesagem, Larissa se descontrolou e acertou um tapa no rosto da oponente. Dayane se manteve calma. A resposta veio só na noite deste sábado, com um nocaute que deslocou o ombro de Larissa.

Evento ocorreu neste sábado (Foto: Winnetou Almeirda/Rei da Selva)

Leave a Comment