Home Amazonas Adolescente assalta ônibus após pedir carona de motorista, em Manaus

Manaus – Um micro-ônibus do transporte alternativo, conhecido como “Amarelinho”, da Cooperativa dos Permissionários Associados Transportes Alternativos e Fretamento Urbanos de Manaus (Coopatam), foi assaltado na manhã desta sexta-feira (25). O autor do delito, um adolescente de 16 anos, foi apreendido pela Polícia Militar (PM).

O assalto ocorreu por volta das 9h30, na rua Contorno Norte, no bairro Armando Mendes, na Zona Leste de Manaus. Durante a ação, o adolescente utilizou uma faca para roubar a renda e o celular do cobrador.

O motorista Marcos Moises, de 32 anos, disse que o adolescente parou o veículo e pediu uma carona até a avenida Autaz Mirim, também conhecido como, “Grande Circular”.

“O jovem pediu uma carona até a Grande Circular alegando estar sem dinheiro. Como sei que muitas vezes é difícil ter R$ 3,80 da passagem resolvi levá-lo sem desconfiar. Porém, logo depois que entrou, puxou uma faca e anunciou o assalto. Ele pediu a renda e o celular do cobrador, e depois saiu do veículo correndo. No veículo havia cinco passageiros, mas não tiveram os pertences levados”, disse.

Agressão 

Na fuga, o jovem foi perseguido pelo motorista do micro-ônibus. Alguns populares que presenciaram o fato o agrediram com chutes e socos.

Uma equipe da 25ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), que passava pelo local em patrulhamento conseguiu evitar o linchamento.

O adolescente e as vítimas foram conduzidos para a Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai).

Detido

O delegado Maurício Ramos, plantonista da Deaai, informou à reportagem que o adolescente responderá pelo crime análogo de roubo e ficará à disposição do Ministério Público (MP-AM), com prazo de 45 dias, podendo ser prorrogado pela Justiça.

Uma passageira de 27 anos, que testemunhou a ação criminosa, perdeu o dia de trabalho devido ao assalto. Ela também prestou queixa na Deaai.

Sem carona

O motorista disse que aprendeu a lição e que, a partir de agora, não dará mais carona para desconhecidos.

“É difícil acreditar, a partir de agora, nas pessoas. Nós procuramos fazer o bem, pois sei que não é fácil ter as vezes R$ 3,80 da passagem. Eu e o meu cunhado, que é cobrador, bem como os passageiros, podíamos perder a vida durante o assalto. Eu tenho duas filhas gêmeas para criar, além de dívidas para honrar. Este já é o segundo assalto que sofro”, finalizou Marcos Moisés.

Deixe uma mensagem