Itacoatiara é um município brasileiro localizado na Região Metropolitana de Manaus, no estado do Amazonas. É a terceira cidade mais populosa do estado de acordo com estimativas do IBGE em 2016.

Considerada o maior pólo agropecuário da Região Norte do Brasil, a cidade vem ocupando uma relevante posição nacional, sendo considerada uma das mais dinâmicas do Brasil.

Ocupa uma área de 8 891,993 km², representando 0.5661 % do Estado, 0.2308 % da Região e 0.1047 % de todo o território brasileiro. Desse total 10,2412 km² estão em perímetro urbano.

O município possui uma temperatura média anual mínima de 25 °C e de 34 °C como média máxima. Na vegetação do município predomina o bioma amazônico. Em relação à frota automobilística, em 2009 foram contabilizados 22 580 veículos. O município contava, em 2009, com 106 estabelecimentos de saúde. O seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,711, sendo considerando inferior à média nacional, e comparado com o IDH do estado, que foi de 0,780.

A cidade é conhecida como Cidade da Pedra Pintada por possuir na entrada da área urbana uma pedra pintada com um escrito indígena do tupi ou nheengatu itá: pedra; e coatiara: (pintado, gravado, escrito, esculpido) que deu origem ao nome atual da cidade. Itacoatiara possui um importante porto fluvial, responsável por uma grande quantidade de transporte de cargas, sendo o segundo maior porto fluvial escoador do país, pois chegam diariamente cargas vindas de cidades como Belém, Cuiabá, Manaus e Santarém.

A vegetação, típica da região amazônica, é formada por florestas de várzea e de terra firme, tendo, ao seu redor, um relevo composto por lagos, ilhotes e uma pequena serra.

Etimologia

O nome Itacoatiara, que segundo a ortografia vigente deve ser grafado Itaquatiara, é originário da língua indígena e significa “Pedra Pintada”, devido as inscrições gravadas em algumas pedras localizadas no rio Urubu em frente à cidade. Teve como primeiros habitantes os índios Muras, Juris, Abacaxis, Anicorés, Aponariás, Cumaxiás, Barés, Jumas, Juquis, Pariguais e Terás.

Itacoatiara é um vocábulo indígena que significa pedra pintada, pedra escrita. Procede do tupi ou nheengatu itá: pedra; e coatiara: pintado, gravado, escrito, esculpido.

História

Em 1655 é criada pelo Padre Antônio Vieira a missão Arroquis na Ilha Albi. Em 1757, os habitantes da Aldeia dos Abacaxis são transferidos para a outra margem do Rio Amazonas (margem esquerda), onde está atualmente a cidade de Itacoatiara. Na foz do rio Mataurá, afluente do Rio Madeira, Frei João Sampaio fundou, nos meados do século XVIII, o primeiro núcleo de povoamento na região do atual município. Todavia, os constantes ataques dos silvícolas e a procura de terras propícias à colonização motivaram a retirada dos habitantes para a ribeira do Canumã e mais tarde para o rio Abacaxis. Por esse último local passou, em 1755, o Capitão-general Francisco Xavier de Mendonça Furtado, Governador do Grão-Pará e Maranhão que, em carta dirigida ao Ministro de Ultramar (1758), descreveu a viagem e especificou as deliberações tomadas em sua visita às terras amazonenses. Existem controvérsias quanto à origem da povoação, pois há os que admitem ter o padre Antônio Vieira criado uma missão de Aroaquis, numa das ilhas próximas de Itacoatiara – a de Aibi, em 1655. No ano de 1759 a aldeia de Itacoatiara é elevada a vila, com a denominação de Serpa, nome de origem portuguesa. Foi a terceira vila instalada no Amazonas, antecedida apenas por Borba e Barcelos. Era, então, das mais importantes aglomerações da região. Suprimido o município em 1833, dois anos depois era assolado pela Cabanagem, sedição que veio a terminar em 1840. A restauração verificou-se em 1857. Mais tarde, em 1874, a vila de Serpa recebeu foros de cidade passando a denominar-se Itacoatiara. Depois de Manaus e Tefé foi a primeira localidade amazonense a ter categoria de cidade.

Itacoatiara, na língua Tupi-Guarani, significa pedra pintada; entretanto, segundo Antônio Cantanhede, em Outras Histórias do Amazonas, o topônimo tem a seguinte decomposição: Itá – pedra; Coati – o mamífero; Ára – o que nasce.

Formação administrativa

Em 28 de novembro de 1830, pelo Ato Estadual nº. 45, o município de Urucará é anexado ao de Itacoatiara. Em 14 de setembro de 1931, pelo Ato Estadual no. 33, o município de Urucurituba também é anexado ao de Itacoatiara. Em 1935, com a reconstitucionalização do estado, Urucará e Urucurituba retornam à condição de municípios.

História recente

Em decorrência do crescimento demográfico de Itacoatiara, que atualmente ostenta a posição da terceira cidade mais populosa do Amazonas e uma das maiores em população da região Norte, o município foi incluído à Região Metropolitana de Manaus em 2008. Possui atualmente 8,991 km² e seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,711.

Geografia

Itacoatiara está localizado na porção centro-leste do estado, na microrregião de Itacoatiara e na mesorregião do Centro Amazonense, numa área de baixo planalto, com uma pequena inclinação em direção aos cursos d’água. Localiza-se a uma latitude 12º44’26” leste e a uma longitude 60º08’45” oeste, estando a uma altitude de 612 metros. Possui uma área de 8.600 km² e seu território tem como limite as cidades de: Manaus, Urucará, Rio Preto da Eva, Nova Olinda do Norte, Silves, Itapiranga e São Sebastião do Uatumã. Localiza-se na Região Metropolitana de Manaus.

Região metropolitana

A Região Metropolitana de Manaus, também conhecida como Grande Manaus, foi criada pel Lei Complementar Estadual nº 52 de 30 de maio de 2007. A Região metropolitana é formada por mais sete cidades: Manaus, Presidente Figueiredo, Rio Preto da Eva, Careiro da Várzea, Iranduba, Manacapuru, Novo Airão. Inicialmente, o município de Manacapuru não era acrescentado à região metropolitana da capital, porém, com a construção da Ponte Rio Negro, que ligará a capital ao interior do estado.

A Região Metropolitana de Manaus, à qual pertence Itacoatiara, é a maior Região metropolitana do Brasil em área territorial, com 101 474 km². Com 2 106 866 habitantes, é a mais populosa da Região Norte brasileira e a décima primeira mais populosa do país, de acordo com o censo demográfico realizado pelo IBGE em 2010.

Clima

Itacoatiara possui clima tropical úmido, presente em toda a Amazônia. O clima é amenizado por alta pluviosidade e pelos ventos alísios que sopram do Atlântico. Quedas de temperatura são comuns no município e diminuem bastante os rigores de calor, acontecendo quase sempre à noite. Há duas estações distintas: inverno, que se inicia em dezembro, e verão, que se inicia em maio.

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), desde 1971 a menor temperatura registrada em Itacoatiara foi de 16,9 °C em 23 de julho de 1981, e a maior atingiu 38,8 °C em 31 de outubro de 1988. O maior acumulado de precipitação em 24 horas foi de 140,4 mm em 17 de janeiro de 2011. O menor índice de umidade relativa do ar foi observado na tarde de 12 de maio de 1981, de 13%.

Hidrografia

Itacoatiara está localizada junto à bacia hidrográfica Amazônica. Os rios que passam por Itacoatiara são os rios Solimões e o Rio Negro, que formam o Rio Amazonas. O rio Solimões começa no Peru e, ao entrar no Brasil, no município de Tabatinga, recebe o nome de Solimões.

Além dos grandes rios que passam pela cidade, outras pequenos igarapés e lagoas cortam a cidade, que também conta com um considerável número de afluentes em suas redondezas.

Fauna e flora

A fauna e flora da Amazônia é diversificada, sendo encontrada a mesma fauna da floresta tropical úmida presente em diversos municípios da região. É possível encontrar no município, inúmeras espécies de plantas e pássaros, inúmeros anfíbios e milhões de insetos.

Os grandes mamíferos da água, como o peixe-boi e o boto, são encontrados principalmente em regiões sem muita movimentação do Rio Negro. Algumas árvores de origem amazônica, como a andiroba e mafumeira (também conhecida como sumaúma), são encontradas em algumas regiões da cidade, principalmente em áreas intactas. Na área urbana, pouco se encontra tais árvores. Répteis como tartarugas, caimões e víboras também ali habitam. Há pássaros e peixes de todas as espécies, plumagens e peles. Em algumas regiões ao longo dos rios, encontramos a planta vitória-régia, cujas folhas circulares chegam a mais de um metro de diâmetro.

Demografia

A população do município, de acordo com estimativas de 2016 provenientes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) era de 98 503 habitantes, sendo o 3º mais populoso do estado e apresentando uma densidade populacional de 11,08 habitantes por km². De acordo com o censo demográfico de 2010, também realizado pelo IBGE, 48,85% da população de Itacoatiara eram homens (42 421 habitantes) e 51,15% (44,419 habitantes) eram mulheres. Também registrou-se que 77% da população vivia em zona urbana (65 327 habitantes) e 23% vivia na zona rural e ribeirinha (19 513 habitantes).

O crescimento populacional de Itacoatiara na última década foi de 18,76%. Em um período de dezenove anos, entre 1991 e 2010, a população de Itacoatiara teve uma taxa média de crescimento anual de 4,26%, onde sua população se elevou de 58 757 habitantes em 1991 para 72 105 habitantes em 2000. A taxa de urbanização cresceu 13,38% passando de 63,62% de urbanização no município, em 1991, para 77,00% em 2010. Em 2000, a população do município representava 2,56% da população do estado e 0,04% da população do país.

Ainda no período de 1991 a 2000, houve um declínio no quesito razão de dependência. Em 1991, a razão de dependência entre os habitantes era alta: 86,8%. Em 2000, com o declínio, este índice baixou para 70,4% dos habitantes.

O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) de Itacoatiara é considerado médio pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). No ano de 2000, considerando apenas a educação, o valor do índice é de 0,825 enquanto o do Brasil é 0,849. O índice da longevidade é de 0,741 (o brasileiro é 0,787) e o de renda é de 0,568 (o do Brasil é 0,723).[46] Comparado aos outros municípios do Brasil, Itacoatiara apresenta uma situação intermediária, ocupando a 2.787ª posição no quesito IDH, sendo que 2.776 municípios (50,6%) estão em situação melhor e 2,720 municípios (49,4%) estão em situação pior ou semelhante. Comparando com os municípios do Amazonas, Itacoatiara apresenta uma boa situação: ocupa a 3ª posição, sendo que 2 municípios (3,2%) estão em situação melhor e 59 municípios (66,8%) estão em situação pior ou semelhante. No período de 1991 a 2000 o IDH de Itacoatiara cresceu 8,22% passando de 0,657 em 1991 para 0,711 em 2000. A educação foi o que mais contribuiu para este crescimento, com 47,2%, seguida pela Educação, com 45,4%. Caso Itacoatiara mantivesse esta taxa de crescimento de IDH, levaria 28,2 anos para alcançar São Caetano do Sul, o município com o melhor IDH do Brasil (0,919) e 9,3 anos para alcançar Manaus, o município com o melhor IDH do estado (0,774).

Evolução demográfica de Itacoatiara

Problemas sociais

Em relação ao trabalho infantil, a cidade apresenta pequenos casos, o que é um retrocesso comparados aos anos anteriores.

De acordo com a Fundação Getúlio Vargas, em junho de 2006, no Brasil, a taxa baseada em renda de trabalho era de 18,57% da população, com queda de 19,8% nos quatro anos anteriores. A taxa de miséria é parcialmente atribuída à desigualdade econômica do país, que de acordo com o Coeficiente de Gini, é uma das maiores do mundo. Em Itacoatiara, a situação é abaixo da média nacional, sendo que a taxa de miséria vem caindo gradativamente nos últimos anos.

A região com maior concentração de pobreza é a região oeste da cidade, que possui áreas com grandes índices de pobreza, devido a uma estrutura socioeconômica frágil, o que tem sido utilizado para fins eleitorais e oportunistas. Contrariamente ao senso comum, os dois bairros com maior índice de riqueza e mais nobres, localizam-se nessa região. Porém, a pobreza existente é pequena comparada aos índices das grandes cidades do país na forma de subúrbios e favelas, comunidades pobres das cidades grandes.

A Incidência de pobreza é de 56,78%[54], o limite inferior da incidência da pobreza é 51,99%, o limite inferior da incidência da pobreza é 61,57%, a incidência de pobreza subjetiva é 67,50%, O Limite inferior da Incidência da Pobreza Subjetiva é de 64,55%, O Limite superior Incidência da Pobreza Subjetiva é 70,46%. O Coeficiente de Gini é 0,45, o Limite inferior do Índice de Gini é 0,42, e por fim o limite superior ao índice Gini é 0,47.

Composição étnica

Os índios correspondem por cerca de 3,09% da população.

Os traços culturais, políticos e econômicos herdados dos portugueses, espanhóis e holandeses marcam o município de Itacoatiara. Cresceu assim, mas voltando um pouco atrás na história, não se pode esquecer a importância dos ameríndios no quesito contribuição étnica. Foram os ameríndios que iniciaram a ocupação humana na Amazônia, e seus descendentes, os caboclos, desenvolveram-se em contato íntimo com o meio ambiente, adaptando-se às peculiaridades regionais e oportunidades oferecidas pela floresta.

Na sua formação histórica, a demografia de Itacoatiara é o resultado da miscigenação das três etnias básicas que compõem a população brasileira: índios, europeus e negros, formando, assim, os mestiços da região (caboclos). Mais tarde, com a chegada dos imigrantes, especialmente japoneses e judeus vindos do Marrocos, formou-se uma cultura singular, que caracteriza a população da cidade, seus valores e modo de vida.

Segundo o censo de 2000 do IBGE, a população de Itacoatiara está composta por: pardos (58,37 % ou 41,367 habitantes), brancos (32,21 % ou 22,504 habitantes), pretos (5,7 % ou 4 110 habitantes), indígenas (3,09 % ou 2,228 habitantes) e amarelos (0,63% ou 430 habitantes). Há ainda, 50 pessoas que não declararam suas etnias, representando 0,10 % do total da população

Religião

A variedade cultural em Itacoatiara se faz presente e são diversas as manifestações religiosas presentes na localidade. Assim como diversos municípios brasileiros, o município se desenvolveu sobre uma matriz social eminentemente católica e é possível encontrar atualmente na cidade dezenas de denominações protestantes diferentes. Também é notório o crescimento dos sem-religião que, segundo dados de 2000, totalizavam 146 habitantes da população religiosa da cidade. Itacoatiara está localizada no país mais católico do mundo em números absolutos. A Igreja Católica teve seu estatuto jurídico reconhecido pelo governo federal em outubro de 2009, ainda que o Brasil seja atualmente um estado oficialmente laico.

De acordo com dados do censo de 2000, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a população de Itacoatiara é composta por: Católicos (80,68%), evangélicos (5,73%), pessoas sem religião (6,09%), budistas (0,01%) e 2,14% estão divididas entre outras religiões.[65] Entre as igrejas protestantes, destacam-se a Assembleia de Deus (15,36%), Igreja Batista (2,09 %) e Igreja Adventista do Sétimo Dia (1,72 %).[65] Entre as denominações cristãs restauracionistas, destacam-se A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (1,16 %) e as testemunhas de Jeová (0,40 %).[65] O espiritismo, judaísmo, a umbanda e o candomblé não foram identificados entre a população religiosa.

Política

Administração

De acordo com a Constituição de 1988, Itacoatiara está localizada em uma república federativa presidencialista. Foi inspirada no modelo estadunidense, no entanto, o sistema legal brasileiro segue a tradição romano-germânica do Direito positivo. A administração municipal se dá pelo poder executivo e pelo poder legislativo.

O Poder executivo é representado pelo prefeito e gabinete de secretários, em conformidade ao modelo proposto pela Constituição Federal. O Poder legislativo é constituído à câmara, composta por 15 vereadores eleitos para mandatos de quatro anos, em observância ao disposto no artigo 29 da Constituição do Brasil. Cabe à casa elaborar e votar leis fundamentais à administração e ao Executivo, especialmente o orçamento participativo (Lei de Diretrizes Orçamentárias). O município de Itacoatiara se rege por leis orgânicas.

O Poder legislativo é constituído pela câmara, composta por quinze vereadores eleitos para mandatos de quatro anos (em observância ao disposto no artigo 29 da Constituição[72]) e está composta da seguinte forma: três cadeiras do Partido Social Democrático (PSD); duas cadeiras do Partido Progressista (PP); duas cadeiras do Partido da República (PR); duas cadeiras do Partido dos Trabalhadores (PT); uma cadeira do Partido Comunista do Brasil (PC do B); uma cadeira do Partido Democrático Trabalhista (PDT); uma cadeira do Partido Republicano da Ordem Social (PROS); uma cadeira do Partido Republicano Progressista (PRP); uma cadeira do Partido Social Cristão (PSC) e uma cadeira do Partido Trabalhista Nacional (PTN). Cabe à casa elaborar e votar leis fundamentais à administração e ao Executivo, especialmente o orçamento participativo (Lei de Diretrizes Orçamentárias).

O atual prefeito de Itacoatiara é Antônio Peixoto de Oliveira, filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT), que cumpre seu mandato como prefeito desde 1º de janeiro de 2017. De acordo com o TRE-AM (Tribunal Regional Eleitoral), o município possuía em 2016 cerca de 62.343 eleitores.